1° Semana Minimalista

Oioi gente!

Essa semana eu iniciei o desafio minimalista (clique aqui para conhecer o desafio) e vim humildemente trazer meu relatório sofrido para vocês.

1

 

Meu Deus,  o primeiro dia foi terrível!

Eu não me considerava uma pessoa viciada em redes sociais, mas a segunda foi um dia atípico: tinha trabalho para apresentar e trabalho para combinar a apresentação, e como adolescente não consegue juntar e fazer nada direito, nós combinamos tudo pelo WhatsApp, cada um faz sua parte, junta tudo um dia antes e reza para dar certo.

O problema é que com as greves do início do ano a minha escola ficou uma bagunça nos dois primeiros bimestres, e os professores, apertados com os prazos, resolveram entupir os alunos com uma tonelada de trabalhos. E, adivinha só: TUDO na bendita segunda-feira que eu tinha que ficar off.

Sério, gente, foram cinco trabalhos (juntando os que eu já tinha) em um prazo muito curto para associar vida social e escola. Perder tempo só iria atrasar a minha vida.

Mas tudo bem, eu estava disposta a fazer o sacrifício. Depois da aula arrumei a casa, pus as tarefas em ordem, adiantei redação, daí olhei para as minhas anotações e lembrei do meu trabalho de português. O troço era enorme e eu tinha duas semanas para organizar tudo, e o meu grupo estava tão fora do radar, que eles nem sabiam o tema. Por isso entrei uma ou duas vezes no whats para mandar mensagens importantes sobre a escola. Me arrependo disso? Não, porque meu futuro estava em jogo drama básico, ignorem.

O resto do meu dia foi um vazio enorme. Fiquei estressada por não poder pegar meu celular para conferir minhas mensagens e e-mails, eu simplesmente não conseguia desligar, pegar um livro ou sair para dar uma volta sem pensar em todas as coisas que poderiam estar acontecendo enquanto estava off.

Nessa segunda reparei que minha vida depende mais do que eu gostaria de admitir das redes sociais. É impossível ficar “off”. É lá que eu converso com os meus pais e com os meus amigos, é basicamente onde a minha vida fica em ordem.

2

Depois de uma segunda-feira terrível eu bem que estava precisando meditar. Aproveitei o tempo que meu irmão estava dormindo, subi no terraço, coloquei um colchãozinho no chão e limpei a mente.

A gente só repara que precisa desses momentos quando o faz. Sempre achei que não conseguiria ficar alguns minutos parada, sem correr de um lado para o outro tentando resolver todos os problemas do mundo. E não é que consegui?

3

Não achei que esse seria tão difícil, mas foi pior. Eu tinha tanta tralha digital entocada no computador e no celular que foi um milagre ter conseguido terminar em apenas um dia. Em um determinado momento eu estava apagando sem nem mesmo ler o que tinha dentro.

Como escritora e blogueira, tenho pastas para todos os tipos de coisas: imagens e frases para o blog/Instagram e diversos words com histórias em andamento ou ideias para histórias futuras. E ainda tem as pastas da escola, e só para vocês terem noção, tinha arquivos de trabalhos escolares de 2012.

4

Passar o dia sem reclamar é algo que a minha mãe foi cultivando aos poucos comigo e com os meus irmãos, ela sempre fez questão de nos ensinar a agradecer pelas coisas que temos e tentar resolver as adversidades com calma. Por isso esse foi o dia mais tranquilo e normal de todos.

5

1° Minha família.

Eles são a base de tudo na minha vida e tudo que eu mais amo. E isso inclui meus dois gatos e a minha cachorra.

2° Amigos.

Aqueles que estão sempre ao meu lado e que embarcam nas minhas ideias malucas. É bom você olhar para o lado e ver que tem amigos que te acompanharam a vida toda, nos momentos bons e ruins.

3° Felicidade.

Sempre procuro motivos para ficar contente. É horrível só pensar no lado negativo das coisas, então uma das maiores prioridades da minha vida é ser feliz ao máximo, porque nunca sabemos como será o amanhã.

 

6

O 6° dia caiu em um sábado depois de uma semana exaustiva. Não preciso nem comentar que o ritual relaxante foi para o brejo, né? Para começar, acordei às 8h com o celular tocando. Poxa, eu tinha colocado para despertar às 8h30min, a pessoa não podia esperar 30 míseros minutos para me importunar?

Acordar mal-humorada, confere.

O ser humano abençoado era a minha amiga, perguntando a que horas eu iria dar as caras na escola para ajudar com a arrumação da festa junina. Opa, quê? Pois é, gente, eu teria que voar para a escola, em um sábado (um dos únicos que não eram letivos) para ajudar na arrumação da festa junina. Ok, ok.

Daí, enquanto corria de um lado para o outro, lavando vasilha, arrumando a mesa do café e acordando meus irmãos para fazerem algo produtivo, meu celular despertou me lembrando do “ritual matinal”. Quis jogar ele na parede. A manhã relaxante que imaginei antes de dormir tinha batido asas para bem longe.

Como vocês podem ver, não deu certo, não teve ritual matinal e fui obrigada a passar o dia na escola, arrumando e tirando fotos dos outros. Ah, que final de semana!

Embora tenha começado de uma forma bem trágica, não me arrependo. Passei o sábado com meus amigos, rindo de coisas idiotas e sendo perseguida por uma garotinha de dois anos (história a ser abafada).

7

Eu já tenho uma lista de leitura que está até bem organizada por sinal (a única coisa na minha vida que mantenho em ordem). O grande X da questão é conseguir conciliá-la com os afazeres da escola.

Costumo usar um esquema com quatro tópicos que montei no computador e que imprimo todo o mês para me organizar: leituras do mês, livros recebidos de parceiros, livros que quero comprar e um espacinho para algumas anotações. Depois, na minha agenda, acrescento datas e metas diárias, por isso, na maioria das vezes, leio dois livros de uma vez e faço resumos para não me perder.

Vou deixar meu guia de leitura em PDF para quem quiser baixar e se organizar: guia de leitura.

Novo(a) CorelDRAW X7 Graphic

Espero que vocês tenham gostado da minha primeira e trágica semana do desafio minimalista. Foi uma experiência muito divertida e quem tiver a oportunidade, participa também ❤

 

Anúncios

30 Dias Minimalista

Oioi gente!

“Lá vem a Duda com novos projetos que vai abandonar.”

Eu juro de dedinho que esse será diferente ou pelo menos eu espero que seja.

Vi esse desafio no blog Um Remédio Chamado Ler, amei a ideia e resolvi trazer para o A&V, compartilhando semanalmente (ou diariamente, quem sabe) os meus avanços.

O minimalismo é um estilo de vida, onde as pessoas buscam o mínimo possível de meios e recursos para viver. É basicamente aproveitar a vida como ela é, fugindo do consumismo e de tudo que é em excesso. E pela minha vida estar tão corrida nesse ano, eu resolvi aderir ao desafio para relaxar, abrindo mão de coisas que as vezes consideramos tão essenciais e que nem fazem tanta falta de fato. E, claro, tirar momentos para cuidar do meu bem-estar.

O primeiro desafio é, com toda certeza, o mais complicado. Fica um dia inteiro Off? Socorro!

Me desejem sorte, galera.

2d

 

  1. Fique offline por um dia;
  2. Medite por 15 minutos;
  3. Destralhe sua vida digital;
  4. Passe o dia inteiro sem reclamar;
  5. Identifique de 3 a 6 prioridades na sua vida;
  6. Siga um ritual matinal;
  7. Organize sua lista de leitura;
  8. Aprenda a apreciar a solidão;
  9. Diminua sua coleção de produtos de beleza;
  10. Nada de emails ou redes sociais até a hora do almoço;
  11. Avalie seus compromissos;
  12. Defina suas metas para este ano;
  13. Limpe seu guarda-roupa;
  14. Comece a aprender algo novo;
  15. Examine seus hábitos diários;
  16. Não compre nada por 24 horas;
  17. Realize uma tarefa de cada vez;
  18. “Unfollow” e “unfriend”;
  19. Saia para uma caminhada e exercite sua consciência;
  20. Não assista TV por um dia (leia, ao invés disso);
  21. Escreva por 20 minutos;
  22. Crie uma rotina relaxante para a hora de dormir;
  23. Saia sem maquiagem;
  24. Pratique gratidão;
  25. Não planeje nada para este dia;
  26. Identifique o que te causa stress;
  27. Limpe a sua “gaveta da bagunça”;
  28. Abandone uma meta;
  29. Desligue as notificações;
  30. Avalie suas 5 últimas compras.