[Resenha] Pollyana — Eleanor H. Porter

Oioi gente!

Hoje eu trouxe a resenha de um clássico maravilhoso. Uma das minhas metas era ler mais clássicos e acredito que aos pouquinhos estou conseguindo ótimos resultados.

download

A pequena Beldingsville, uma típica cidadezinha do início do século XX na Nova Inglaterra, Estados Unidos, nunca mais seria a mesma depois da chegada de Pollyanna, uma órfã de 11 anos, que vai morar com a tia, a irascível e angustiada Polly Harrington. Por influência da menina, de uma hora para outra, tudo começa a mudar no lugarejo. Tia Polly aos poucos torna-se uma pessoa melhor, mais amável, e o mesmo acontece com praticamente todos os que conhecem a garota e seu incrível “Jogo do Contente”. Uma otimista incurável, Pollyana não aceita desculpas para a infelicidade e empenha-se de corpo e alma em ensinar às pessoas o caminho de superar a tristeza.

Páginas: 180     Ano: 2016     Autor: Eleanor H. Porter

Grupo AutênticaSaraivaSubmarino 

Polly Harrington vê sua vida mudar após receber uma carta informando o falecimento do cunhado. A amargurada herdeira dos Harringtons recebe a tutela de Pollyana, filha de sua falecida irmã que, pelo que constava na carta, acabara de virar órfã.

Polly encara cuidar da menina como um “dever”. Manda arrumar o sótão para a sobrinha e nem se dispõe a buscá-la na estação, ordenando que os empregados se encarreguem disso. O grande problema é que é impossível não amar a garotinha. Pollyana é a criança mais amável do mundo. Sempre vê o lado positivo das coisas e se diverte ensinando os moradores de Beldingsville a brincadeira do contente, inventada pelo pai.

Uma das cenas que me fez chorar muito, mas muito mesmo, foi logo após a chegada de Pollyana. Ela sabia que a tia era rica e estava ansiosa para conhecer seu quarto. Como o pai era um Reverendo, possuía poucos bens e o sonho da menina era ter uma casa com quadros bonitos, espelhos e tapetes, assim como as outras famílias. Esperando encontrar isso na casa da tia, foi uma decepção enorme saber que dormiria num sótão abafado.

— Está bem… — e, de repente, deu um sorriso: — Ora, eu posso ficar alegre com isso, não posso? […] Até prefiro que não tenha espelhos aqui. Assim não verei minhas sardas. […] Olhe, Nancy, como é lindo lá embaixo. Ainda não tinha notado. A torre da igreja, as árvores e o rio brilhando como prata. Não preciso de quadros na parede, tenho uma linda vista à minha disposição. Foi bom a titia ter me dado este quarto.

A garotinha cativa à todos com sua pureza e otimismo. Muito comunicativa e com um humor contagiante, Pollyana faz um milagre na cidade. Ajudou enfermos, a igreja e até a amargurada da sua tia, rompendo pouco à pouco as barreiras de seu coração.

Há sempre uma razão para se estar contente.

O livro é cativante, mostra a pureza das crianças, além de passar uma lição linda, muitas vezes esquecida: a importância de agradecer por tudo que temos.

Narrado em terceira pessoa, a leitura é leve e viciante. Pollyana não é voltado apenas para o público infantil, pelo contrário, é principalmente para aqueles que deixaram de acreditar.

Pollyana virou filme em 1960 e ganhou uma nova versão em 2003. Faz muitos anos que assisti (não lembro qual versão) e fiquei receosa quanto a fazer isso agora. Sou dessas que imagina e fantasia toda uma fisionomia e modo de falar dos personagens, por isso o filme seria um bom balde de água fria. Mas aconselho todos que não puderem comprar Pollyana à pelo menos assisti-la. É uma história repleta de lições e todo o otimismo da protagonista é revigorante. No decorrer da leitura eu estava tão envolvida que me pegava participando da brincadeira do contente.

Esse livro virou o meu queridinho de todo o universo e vocês verão várias recomendações no blog.

Veja, quando você está procurando coisas para ficar contente, você se esquece das outras coisas.

~Duda Almeida

Anúncios

21 comentários sobre “[Resenha] Pollyana — Eleanor H. Porter

  1. Oi, Duda!
    Esse livro é muito lindo!! Pollyana é uma personagem nunca e inigualável.
    O que mais me marcou foi o jogo do contente. Não tem como não lembrar do jogo quando estamos passando por alguma fase ruim. Espero um dia poder reler o livro. ^^
    Beijão!
    Blog La Garota
    Blog As Meninas Que Leem Livros

    Curtir

  2. Este foi um dos livros que marcou a minha infância e meu coração se enchei de nostalgia quando li sua resenha. Com certeza, a narrativa é cativante, como você bem pontuou e acredito que pela pureza da personagem.
    Amei e me deu uma baita vontade de reler o livro.
    Beijos

    Curtir

  3. Me parece um clássico marcante, adorei a sinopse de cara.
    Sua resenha ficou ótima, o que o poder de uma criança não faz né? Não conhecia, mas me deixou curiosa.
    Obrigada pela visita no Blog As Meninas Que Lêem Livros.
    Bjs.

    Curtir

  4. Eu adorei o livro logo pela capa! Me parece adorável e a Pollyana é um amorzinho! Decidi agora que preciso desse livro :’)
    A leitura parece ser bem leve e o enredo é cativante 🙂
    Ótima resenha! Obrigada pela dica de leitura XD
    Beijinhos~

    Curtir

  5. Uau!!! Esse livro com certeza conquistou minha atenção. Acredito que muito disso se deva à forma como você o descreveu e o impacto que ele causou a você. Eu gostaria muito de lê-lo algum dia.

    Curtir

  6. Oi Duda!
    Esse livro é bem antigo e muito conhecido, não é? Tenho muita vontade de ler, mas medo de não gostar. Entretanto, ler sua resenha me instigou para saber como as coisas vão acontecer e conhecer, principalmente, a a pureza e o otimismo da protagonista.
    Espero que esse livro entre para o hall dos meus favoritos também.
    Beijos

    Curtir

  7. Olá, tudo bem? Confesso que ainda não conhecia o livro, mesmo já tendo até adaptações. A premissa não me cativou tanto, mas sua resenha conseguiu me deixar instigada. O livro é pequeno, então pode ser que eu dê uma chance em um futuro próximo. Beijos.

    Curtir

  8. Oie!
    Eu ainda não tive a oportunidade de ler o livro, mas fico só imaginando toda a reflexão que esse livro pode transmitir. Espero poder ler, assim como assistir a adaptação, pois fiquei bem interessada na trama.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    Curtir

  9. Oi, tudo bem?
    Que delícia ler essa resenha! Esse livro é um dos meus queridinhos da vida e marcou a minha infância (junto com Harry Potter). É uma narrativa muito cativante e acho encantador ver a Pollyana transformando a vida das pessoas à sua volta.
    Não sabia que o livro tinha uma adaptação, mas com certeza pretendo assistir.
    Adorei a sua resenha!
    Beijos!

    Curtir

  10. Olá, Duda

    Eu nunca li esse livro, mas agora, depois de ler sua resenha, fiquei com uma enorme vontade de fazer essa leitura. Fiquei aqui com dor no coração quando você descreveu o momento que te fez chorar, acho que também ficaria com o coração apertado. Quero conhecer Pollyana! ❤

    Beijos

    Curtir

  11. Oie! Tudo bem?

    Infelizmente esse é um livro que nunca me chamou a atenção, já li algumas resenhas muito boas sobre ele, e tenho uma amiga que ama essa história, mas ele não faz a minha cabeça, falta alguma coisa na história que desperte meu interesse para realizar a leitura!

    Bjss

    Curtir

  12. OOi!
    Acho que já ouvi/li o título em algum lugar, mas não conhecia a história e nem a adaptação. O livro parece ser tocante que faz o leitor refletir bastante, gosto disso. Porém, no momento não sei se leria pois além das reflexões, pouca coisa despertou meu interesse. De qualquer forma, dica anotada. 🙂
    Beijoos!

    Curtir

  13. Olá!
    Nunca li o livro, mas já vi mesmo várias pessoas falando super bem, e eu não tive curiosidade em conferir, pelo menos não até agora. Mas adorei a sua resenha e saber as suas considerações, parece realmente um livro bem infantil, mas gostei de saber que é uma leitura boa para adultos também.
    Beijos.

    Curtir

  14. Oiii!!!
    Eu não tenho certeza se eu já vi o filme, o nome é familiar, mas não tenho certeza. Gostei muito dessa história e fiquei bem triste em saber que a tia de Pollyana arrumou o quarto da garota no porão. Muita maldade e crueldade, como se a menina estivesse incomodando ela. Fiquei curiosa para entender essa brincadeira do contente, tenho certeza que é algo encantador. É um livro para ler e refletir, realmente.
    Beijos

    Curtir

  15. Olá Duda! Tudo bem?
    Eu tenho esse livro há séculos e nunca li acredita? Mas não sabia do conteúdo que ele tinha e fiquei impressionada! Parabéns pela sua resenha, ela me cativou muito muito e com certeza quero dar uma chance para esse livro pois adoro aqueles livros que sempre nos dão uma lição de moral de alguma forma!

    Beijos querida!

    Curtir

  16. Olá!!

    Essa é a primeira resenha que leio desse livro. Já o conhecia, mas nunca li nada sobre ele que me despertasse o interesse pela leitura. Lendo sua resenha agora, vi que trata-se de um livro que eu leria com certeza. Vou tentar procurar o livro em algum sebo ou em lojas mesmo para comprar.

    Curtir

  17. Pingback: Livros Para Dias Frios | Aspas & Vírgula

  18. Pingback: Tag: Deuses do Olimpo | Aspas & Vírgula

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s