[PRÉ-VENDA] Porcelana: Rubrum Luna – Géssica Marques 

Oioi gente!

Acaba de começar a pré-venda de Porcelana, da autora Géssica Marques que é parceira aqui do blog.

Eu estou muito animada com isso, sério. Não vou pedir pra vocês aguardarem o post de primeiras impressões, porque o livro está com uma promoção imperdível: os três primeiros compradores ganharão um lindo colar de lua vermelha.

GO, GO, GO! 

Capa_frente_Porcelana

Nos corações dos habitantes de Centralia, vivem superstições que só poderiam existir em seus mais profundos pesadelos, ou na sombria floresta que cerca toda a cidade, um fato em que todos temem acreditar. 

Com a proximidade do Rubrum Luna, a cidade fica agitada com seus novos visitantes, que além de turistas, podem acabar fazendo parte do banquete principal. Com planos de assumir seu tão desejado lugar junto a corte dos vampiros, Violet Demons se depara com seu tenebroso passado, fazendo com que suas habilidades mais sombrias e poderosas venham tomar parte de sua personalidade. 

Morte e luxúria não são suficientes para descrever os desejos de Violet.

Editora: Young Editorial     ano: 2017     páginas: 220     autor: Géssica Marques

PRÉ-VENDA 

Alguns comentários sobre o livro:

“Violet é uma personagem sexy, envolvente, forte e determinada. Tem tudo o que quer na palma da mão e não se deixa abalar por nada, ou pelo menos era o que ela pensava. Com uma brusca reviravolta na vida da personagem, a autora Géssica Marques nos mergulha em um mundo com seres místicos brigando pela dominação do nosso mundo. A única certeza que você terá lendo “Porcelana” é que a obra lhe fará soltar diversos suspiros de alegria, medo e de… Prazer.”  Tabatha Cuzziol, Blog e Canal Floretizas

“Um romance gótico de tirar o fôlego. A escrita da Géssica é simplesmente viciante, nunca vi ninguém escrever tão bem cenas quentes e olha, isso é o que não falta em Porcelana. Violet Demons é uma vampira sexy, dona de si e que impressiona o leitor por seu lado feminista, afinal, ela quer provar o seu valor para a corte vampírica de todo jeito. A mulher é uma protagonista sensacional! Estou apaixonada pelo enredo criado pela autora. É maravilhosamente sensual, único e arrebatador.”  Kate Willians, autora dos livros Distopia, A fada madrinha, Hunter e Debaixo das minhas asas. 

“Porcelana é uma mistura perigosa entre o mito do vampiro e a contemporaneidade. É cálido, sexy e envolvente.” – Michelle Pereira autora do livro Guardião do Medo.

~Duda Almeida

 

Anúncios

5 filmes para assistir no fim de semana

Por anos abandonei o cinema e foquei nos livros. Para falar a verdade, só sei os filmes que estão em cartaz porque tenho amigos viciados em cinema.

Sempre achei muito mais prazeroso passar os finais de semana lendo romances água com açúcar ou entretida em um romance policial, do que vasculhando a Netflix na busca de algo que me agrade. No entanto, têm cinco filmes que vira e mexe eu dou aquela reprisada com as amigas. Eles nunca saem da minha lista e se bobear decorei até algumas falas.

1° 10 Coisas que Eu Odeio em Você:

tumblr_m0dlzx2B6d1qbwxizo1_r1_500A situação está tensa na casa dos Stratford. Bianca (Larisa Oleynik) não vê a hora de arranjar um namorado, mas seu pai (Larry Miller) não permite que ela saia com garotos. Após muita insistência, o pai toma uma resolução: Bianca pode namorar, desde que sua irmã, Katharina (Julia Stiles), namore também. Só que Katharina é uma verdadeira megera, que não tem amigos na escola nem em lugar algum. Para resolver a questão, Cameron (Joseph Gordon-Levitt), apaixonado por Bianca, resolve contratar o misterioso Patrick Verona (Heath Ledger) para seduzir a futura cunhada.

 

 

 

 

O filme 10 Coisas que Eu Odeio em Você é basicamente uma versão moderna de A Megera Domada, de Shakespeare. Com duas irmãs opostas, onde de um lado temos Bianca, doce e popular, e do outro Kat, a megera detestada por todos.

É meu romance preferido de todos, sempre me tirando altas gargalhadas (e algumas lágrimas também) e com a cena épica de Patrick (Heath Ledger) cantando I Can Take My Eyes Of You para conquistar Kat (Julia Stiles).

2° Os Delírios de Consumo de Becky Bloom:

Resultado de imagem para gif os delírios de consumo de becky bloom

Nova York. Rebecca Bloomwood (Isla Fisher) é uma garota que adora fazer compras e seu vício a leva à falência. Seu grande sonho é um dia trabalhar em sua revista de moda preferida, mas o máximo que ela consegue é um emprego como colunista na revista de finanças publicada pela mesma editora. Quando enfim seu sonho está prestes a ser realizado, ela repensa suas ambições.

Completamente divertido, já perdi a conta de quantas vezes assisti esse filme. Rebecca é uma consumista de mão cheia que consegue emprego como colunista de uma revista de finanças. Logo ela, a rainha das compras.

Muito leve e descontraído, é o filme perfeito para passar o fim de semana se entupindo de brigadeiro.

3° Orgulho e Preconceito:

tumblr_static_tumblr_static_a8uae3rphgoo80w0sso4gkgwc_640

Inglaterra, 1797. As cinco irmãs Bennet – Elizabeth (Keira Knightley), Jane (Rosamund Pike), Lydia (Jena Malone), Mary (Talulah Riley) e Kitty (Carey Mulligan) – foram criadas por uma mãe (Brenda Blethyn) que tinha fixação em lhes encontrar maridos que garantissem seu futuro. Porém Elizabeth deseja ter uma vida mais ampla do que apenas se dedicar ao marido, sendo apoiada pelo pai (Donald Sutherland). Quando o sr. Bingley (Simon Woods), um solteiro rico, passa a morar em uma mansão vizinha, as irmãs logo ficam agitadas. Jane logo parece que conquistará o coração do novo vizinho, enquanto que Elizabeth conhece o bonito e esnobe sr. Darcy (Matthew Macfadyen). Os encontros entre Elizabeth e Darcy passam a ser cada vez mais constantes, apesar deles sempre discutirem.

Jane Austen tem um lugarzinho de honra no meu coração e depois de me apaixonar pelo livro Orgulho e Preconceito, foi a vez do filme.

De um lado temos Elizabeth Bennet, uma moça decidida e muito inteligente, que prefere passar sua vida sozinha do que na companhia de alguém que não a agrade, e do outro Mr. Darcy, um homem bonito e muito antipático, dono de várias propriedades, o tipo de partido cobiçado que afasta todos com sua arrogância.

O romance entre os dois é encantador. Darcy respeita os limites de Lizzie e está sempre superando minhas expectativas.

4° Operação Cupido:

Resultado de imagem para operação cupido sinopse gif

As gêmeas Hallie e Annie (Lindsay Lohan) foram separadas ainda pequenas. Uma ficou com a mãe, Elizabeth (Natasha Richardson), e outra com o pai, Nicholas (Dennis Quaid). Um dia as duas se encontram num acampamento de verão e se dão conta do parentesco até então desconhecido. Elas trocam de lugar na volta para a casa e elaboram um plano para que o casal volte às boas e a família enfim possa se reunir.

Esse filme é a coisa mais fofa do mundo e esses dias mesmo eu assisti na Netflix (quem precisa de vida social?). É uma comédia muito engraçada e eu amo ver a atuação da Lindsay Lohan novinha.

5° Esposa de Mentirinha:

esposa-de-mentirinha-5

Danny Maccabee (Adam Sandler) queria um relacionamento sério, mas foi infeliz em sua tentativa de casamento. Para driblar a carência, passa a vivenciar somente namoricos e transas sem o menor compromisso. Assim, ele toca sua vida como cirurgião plástico bem sucedido, tendo sua melhor amiga Katherine (Jennifer Aniston), mãe solteira de um casal de pirralhos, como fiel escudeira. Mas um dia ele conhece a jovem Palmer (Brooklyn Decker) e a paixão toma conta de ambos. Disposto a se casar com ela, Danny pisa na bola quando, para conquistá-la, inventa que é marido da amiga, pai das crianças e que vai se separar. Começa então uma verdadeira aventura amorosa recheada de confusões de todos os tipos.

Eu gosto muito da atuação do Adam Sandler. Ao mesmo tempo que tem filmes muito engraçados, tem outros que eu me pergunto como ele teve coragem de gravar.

Esposa de Mentirinha conta com a participação de Jennifer Aniston, interpretando Katherine, uma mãe solteira que batiza o coco do filho com o nome de uma colega chata. O filme é uma comédia romântica recheada de muitas cenas descontraídas, bom para passar as tardes de domingo quando não se tem nada para fazer.

E aí, gostaram? Fiquem à vontade para me deixar indicações de seus filmes favoritos ❤

~Duda Almeida

[Resenha] Pollyana — Eleanor H. Porter

Oioi gente!

Hoje eu trouxe a resenha de um clássico maravilhoso. Uma das minhas metas era ler mais clássicos e acredito que aos pouquinhos estou conseguindo ótimos resultados.

download

A pequena Beldingsville, uma típica cidadezinha do início do século XX na Nova Inglaterra, Estados Unidos, nunca mais seria a mesma depois da chegada de Pollyanna, uma órfã de 11 anos, que vai morar com a tia, a irascível e angustiada Polly Harrington. Por influência da menina, de uma hora para outra, tudo começa a mudar no lugarejo. Tia Polly aos poucos torna-se uma pessoa melhor, mais amável, e o mesmo acontece com praticamente todos os que conhecem a garota e seu incrível “Jogo do Contente”. Uma otimista incurável, Pollyana não aceita desculpas para a infelicidade e empenha-se de corpo e alma em ensinar às pessoas o caminho de superar a tristeza.

Páginas: 180     Ano: 2016     Autor: Eleanor H. Porter

Grupo AutênticaSaraivaSubmarino 

Polly Harrington vê sua vida mudar após receber uma carta informando o falecimento do cunhado. A amargurada herdeira dos Harringtons recebe a tutela de Pollyana, filha de sua falecida irmã que, pelo que constava na carta, acabara de virar órfã.

Polly encara cuidar da menina como um “dever”. Manda arrumar o sótão para a sobrinha e nem se dispõe a buscá-la na estação, ordenando que os empregados se encarreguem disso. O grande problema é que é impossível não amar a garotinha. Pollyana é a criança mais amável do mundo. Sempre vê o lado positivo das coisas e se diverte ensinando os moradores de Beldingsville a brincadeira do contente, inventada pelo pai.

Uma das cenas que me fez chorar muito, mas muito mesmo, foi logo após a chegada de Pollyana. Ela sabia que a tia era rica e estava ansiosa para conhecer seu quarto. Como o pai era um Reverendo, possuía poucos bens e o sonho da menina era ter uma casa com quadros bonitos, espelhos e tapetes, assim como as outras famílias. Esperando encontrar isso na casa da tia, foi uma decepção enorme saber que dormiria num sótão abafado.

— Está bem… — e, de repente, deu um sorriso: — Ora, eu posso ficar alegre com isso, não posso? […] Até prefiro que não tenha espelhos aqui. Assim não verei minhas sardas. […] Olhe, Nancy, como é lindo lá embaixo. Ainda não tinha notado. A torre da igreja, as árvores e o rio brilhando como prata. Não preciso de quadros na parede, tenho uma linda vista à minha disposição. Foi bom a titia ter me dado este quarto.

A garotinha cativa à todos com sua pureza e otimismo. Muito comunicativa e com um humor contagiante, Pollyana faz um milagre na cidade. Ajudou enfermos, a igreja e até a amargurada da sua tia, rompendo pouco à pouco as barreiras de seu coração.

Há sempre uma razão para se estar contente.

O livro é cativante, mostra a pureza das crianças, além de passar uma lição linda, muitas vezes esquecida: a importância de agradecer por tudo que temos.

Narrado em terceira pessoa, a leitura é leve e viciante. Pollyana não é voltado apenas para o público infantil, pelo contrário, é principalmente para aqueles que deixaram de acreditar.

Pollyana virou filme em 1960 e ganhou uma nova versão em 2003. Faz muitos anos que assisti (não lembro qual versão) e fiquei receosa quanto a fazer isso agora. Sou dessas que imagina e fantasia toda uma fisionomia e modo de falar dos personagens, por isso o filme seria um bom balde de água fria. Mas aconselho todos que não puderem comprar Pollyana à pelo menos assisti-la. É uma história repleta de lições e todo o otimismo da protagonista é revigorante. No decorrer da leitura eu estava tão envolvida que me pegava participando da brincadeira do contente.

Esse livro virou o meu queridinho de todo o universo e vocês verão várias recomendações no blog.

Veja, quando você está procurando coisas para ficar contente, você se esquece das outras coisas.

~Duda Almeida

[Parceria] Géssica Marques

Oioi gente!

Vim trazer uma novidade maravilhosa para vocês: o blog fechou parceria com a autora Géssica Marques!

Eu não disse que 2017 tinha começado com tudo? Pois então, ele só está melhorando ❤

Seja muito bem-vinda ao Aspas & Vírgula, Géssica!

DSC_0044

Géssica Marques tem 21 anos, sagitariana e é a fundadora do blog Cantinho Geek. Está no último ano do curso de Design Gráfico, mas já trabalha na área como capista e diagramadora.

Além de blogueira e designer, é também escritora. Tem vários contos publicados na Amazon e em 2016 teve um conto publicado na antologia Demontale pela Editora Arwen. Em 2017 lançou seu primeiro livro pela Young Editorial.

Adora livros de romance e fantasia, mas também gosta de quadrinhos e jogos. Teve seu primeiro contato com o mundo literário aos 13 anos quando começou a ler e escrever fanfic. Tem várias histórias engavetadas, mas acredita que elas virão ao mundo no tempo certo.

Facebook da autoraFacebook como designer – Blog – Skoob

Sobre os livros:

Porcelana – Rubrum Luna

Capa_frente_Porcelana

Nos corações dos habitantes de Centralia, vivem superstições que só poderiam existir em seus mais profundos pesadelos, ou na sombria floresta que cerca toda a cidade, um fato em que todos temem acreditar. 

Com a proximidade do Rubrum Luna, a cidade fica agitada com seus novos visitantes, que além de turistas, podem acabar fazendo parte do banquete principal. Com planos de assumir seu tão desejado lugar junto a corte dos vampiros, Violet Demons se depara com seu tenebroso passado, fazendo com que suas habilidades mais sombrias e poderosas venham tomar parte de sua personalidade. 

Morte e luxúria não são suficientes para descrever os desejos de Violet.

 

Porcelana será publicado pela Young Editorial e a pré-venda do livro terá início esse mês.

Contos na Amazon

AmazonSkoob

Assim que a pré-venda de Porcelana tiver início, será divulgado no blog. E aguardem as futuras resenhas ❤

~Duda Almeida

[Primeiras Impressões] Ossos do Clima — André Souto

Oioi gente!

Eu queria postar a resenha de Ossos do Clima, do nosso parceiro André Souto, hoje, mas estou passando por uns problemas pessoais e não tive tempo de finalizar a leitura. Como o lançamento do livro é amanhã (11/03) resolvi postar pelo menos minhas primeiras impressões que, diga-se de passagem, foram ótimas.

capa-frente

O misterioso desaparecimento de um renomado cientista, um incêndio criminoso, um roubo que deu errado e as mortes inexplicáveis de diferentes pesquisadores ao redor do mundo. 
Aparentemente nenhum desses fatos está relacionado, mas com o desenrolar da história fica evidente cada pequena conexão. Algumas nem tão pequenas assim. 
Entre inúmeras perguntas sem respostas e enigmas que parecem insolúveis acontece, em Brasília, a Cúpula Mundial do Clima, pano de fundo para tramas políticas que podem mexer com algumas das mais íntimas certezas dos protagonistas da trama, assassinatos e uma caçada pelas pessoas que podem mudar a nova ordem mundial.
Junte-se a Alice Gianne e Amilton Vidal para tentar desvendar esse mistério e entender quais são os Ossos do Clima.
Páginas: 387     Ano: 2016     Autor: André Souto
Logo nos primeiros capítulos meu queixo foi ao chão. Eu não estava preparada, principalmente depois de tantas decepções literárias no mês de fevereiro. Gosto de livros policiais e quando comecei a ler Ossos do Clima me senti totalmente envolvida pela trama.
No prólogo conhecemos Caio Sodré, um renomado professor da UnB, que está pesquisando sobre um projeto muito importante na biblioteca da universidade onde trabalha, quando some misteriosamente em meio a um incêndio.
Alice Gianne, filha adotiva de Caio, acaba sendo incriminada pelo incêndio e pela morte de seu secretário.
De início eu gostei muito da Alice. Ela possui Alexitimia vinda do autismo que a impedem de demonstrar emoções e sentimentos. Mas não foi isso que me afeiçoou a ela e sim a forma que o André Souto moldou sua personalidade. É bastante comum a romantização de doenças, e dá para ver que o autor pesquisou sobre a Alexitimia, trazendo muito mais veracidade ao livro.
Mas Ossos do Clima não para por aí. Mudando completamente da água para o vinho, somos transportados para as Ilhas do Atlântico Sul, onde mercenários conduzidos por uma equipe especializada realizam um assalto a um museu. Sombra Um, o líder da operação, trai a Organização no último instante.
— Ouvimos um disparo, algo errado com a segurança, tenente?
— Não, algo errado com a operação, seu francês de merda.
Os superiores entreolharam-se. O sangue de George congelou.
— Prossiga, Sombra Um. — Pierre, um pouco mais tenso, deu a ordem. Dentro do peito era como se alguém trouxesse vida à pólvora armazenada no coração. Fortes batidas. — Relate o ocorrido, Sombra Um.
— A equipe Plutão está ouvindo essa conversa. Eu quis assim. Quero informar que estou fora da Organização. Em definitivo.
Mudando novamente o cenário, vamos para Jerusalém, Israel, onde Rômulo Panjota, um pesquisador do setor privado em geologia e petróleo, é assassinado de um jeito terrível. Como esses casos distintos se interligam? Bem, você só saberá se ler Ossos do Clima.
As primeiras páginas são enigmáticas e juntamente com a descrição dos fatos em terceira pessoa e a construção dos personagens, a leitura flui de uma forma incrível. Em um momento eu estava no prólogo e em outro já tinha terminado a degustação que o André me mandou. A escrita é madura, então não esperem encontrar algo superficial ou buracos no enredo.
Estou finalizando a leitura e como pretendo fazer uma resenha linda e que faça jus a toda a trama do livro, vou parar por aqui.
Para quem ficou interessado e mora em Brasília, estará acontecendo o lançamento do livro na Livraria Cultura do Casa Park, às 16h desse sábado (11/03). É uma oportunidade que não dá para perder. Além do enredo eletrizante, a capa está linda e a diagramação, mesmo que eu tenha lido em formato digital, parece estar muito bonita. E, claro, é uma ótima oportunidade de ter seu exemplar lindo e cheiroso autografado.
sg

~Duda Almeida