Resenha: Um Cãoto

capa_697707_1473744523

Oi, amores!

Hoje eu vim trazer para vocês outra resenha, agora de uma história maravilinda chamada Um Cãoto, da autora Dinahmitt.

O que me levou a fazer essa resenha, primeiramente, foi a originalidade. Eu tenho anos de Nyah, Wattpad e Social Spirit, e nunca vi uma história com um protagonista canino tão fofo. Quando bati os olhos em Um Cãoto, decidi que precisava resenhá-la no blog.

O legal é que a história está no começo, então se você é um daqueles leitores que gostam de acompanhar desde o início, corre lá para dar uma conferida:

Link: Um Cãoto

Em uma entrevista com a autora, Dinahmitt me contou que aprendeu a ler e escrever em casa, com o pai, e embora gostasse muito disso, não tinha o hábito de tornar seus escritos públicos. Isso é algo mais recente, então, moça, faço um apelo por todos aqueles que ainda terão o prazer de ler não só Um Cãoto, mas todas as outras histórias maravilhosas que você irá escrever: continue divulgando suas histórias. Você escreve muito bem para deixá-las criando teia em um cantinho escuro e sem amor.

Bem, vamos ao que realmente interessa?

Um Cãoto é uma original que conta a vida de um cachorrinho chamado Fred desde seu nascimento até seus últimos dias de vida. Fred é o tipo de cachorro cativante, sabe? Você mal termina de ler o primeiro capítulo e, alem de dar umas boas gargalhadas, decide que vai amá-lo eternamente.

Tomei esporro. Sei lá porquê! Mamãe me olhou feio também, mas poxa, eu estava apertado! Desde quando é errado se aliviar?! Ainda não consigo controlar bem essas coisas também, até parece que mamãe e a tia nunca foram filhotes. Ou comeram pouco hoje e estão mal humoradas, vai saber? A tia me colocou de castigo, não era pra tanto também […] Pelo menos eu peguei a maldita daquela bolinha hoje. Certeza que ela zomba da minha cara rolando por aí!

A autora também abordou a ida de Fred ao veterinário e suas reações ao tomar vacina. São cenas descontraídas e você se diverte muito vendo um filhotinho convivendo com esse tipo de coisa. Também é muito interessante a forma como a autora descreve os pensamentos dele, indicando que ela teve todo um trabalho com pesquisas. Então, sugiro que você não perca tempo. Te convido a dar uma lida na entrevista que fiz com a autora, para conhecê-la melhor (e ver o quanto ela é fofa), e depois correr no link que deixei lá em cima.

O que te levou a escrever Um Cãoto e quais suas expectativas para a história?

Inicialmente foi algo como todo o resto: uma ideia que surgiu e eu escrevi. Não imaginei que se tornaria algo que eu pudesse passar o meu conhecimento – estudo cães, gatos e roedores há 9 anos. Conforme a história foi se desenvolvendo e eu relia, ia gostando mais e a história passou a ter um amadurecimento do próprio protagonista, de forma leve. A história ganhou uma estrutura que eu não estava prevendo. Estou bem otimista quanto a ela, ganhou muitas visualizações em pouquíssimo tempo e espero que se popularize. Pretendo procurar uma editora no futuro para ela, já que se encaixa perfeitamente para jovens de 12 a 14 anos.

(Dinahmitt estudou por 9 anos, dá para ter uma ideia que ela sabe muito bem o que está fazendo e que os personagens serão bem construídos).

Você considera a escrita apenas um hobbie ou pretende levar isso para frente e publicar um livro?

Como eu disse, pretendo publicar sim! Já tenho outros projetos que comecei a investir um tempo também, mas “Um Cãoto” terá prioridade em ser publicado livremente por enquanto.

Para finalizar: Você tem alguma frase, citação ou trecho de música que te inspira?

Tenho várias! Atualmente foco em duas da Katy Perry (Double Rainbow e Rise) e algumas da Ellie Goulding. Mas nenhuma música me inspira para “Um Cãoto”, curioso né?

Para terminar essa resenha com chave de ouro, vou deixar o apelo de um cachorrinho que se sentiu muito violado quando foi ao veterinário:

Me colocaram numa mesa gelada, credo, é muito frio aqui. E olha que agora eu tô ficando peludo igual a mamãe! SOCORRO! ESSA ESTRANHA TÁ COLOCANDO ALGUMA COISA NA MINHA BUNDA! TIA, ME AJUDA! Hmpf! Bom mesmo, dona moça. Isso é muito feio! Sua mãe não te deu educação? É pra CHEIRAAAAR!

Pessoal, vocês leram: é para cheirar!

Enfim, eu me diverti muito e aguardo comentários caso vocês tenham gostado!

~Duda Almeida

Anúncios

Um comentário sobre “Resenha: Um Cãoto

  1. Pingback: Divulgação: Profundezas – Aspas & Vírgula

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s