Divulgação: Profundezas

 

capa_697707_1475296134

Hey, pessoal!

Vamos focar aqui. Larga tudo que está fazendo e presta atenção na tia.

Hoje eu venho humildemente trazer a divulgação de uma história que promete ser lacradora. O nome da original é Profundezas e o primeiro capítulo sai neste sábado (01 de outubro).

Quando a autora Dinahmitt, que já teve uma de suas histórias resenhada aqui no blog (vou deixar o link da resenha para os curiosos de plantão), me falou sobre sua nova original, eu sabia que seria amor a primeira vista ♥ (e foi).

Profundezas fala sobre sereias, tritões e humanos, mas aborda um tema totalmente diferente do clichê que estamos acostumados. Nessa original essas criaturas possuem suas próprias culturas e crenças, com várias subespécies espalhadas pelo oceano e nós acompanharemos a história da colônia mais próxima dos mamíferos.

Como eu já li o primeiro capitulo (tá aí um dos benefícios de fazer divulgação – risada maligna ~MUAHAHAHAHA), posso garantir que todos vão amar. A autora fez descrições incríveis do cenário, construiu bem a personalidade dos personagens e deixou aquele gosto de quero mais no final. E se essa não é a receita para uma original de sucesso, então Nescau é muito melhor que Toddy. Não, pera.

BRINCADEIRA! AMO TODDY, AMO NESCAU. NÃO ME MATEM!

Só para deixar vocês ainda mais curiosos, vou deixar a sinopse que me deixou no chão, o trailer book e o link do perfil da autora tanto no Nyah quanto no Wattpad, para que vocês possam acompanhar assim que a história for postada:

Link: Perfil no Nyah

Link: Perfil no Wattpad

Trailer: Profundezas

Sereias são conhecidas como seres míticos que vivem nos oceanos a profundidades inatingíveis. Popularmente sabe-se de seu hábito por encantar homens, naufragar seus navios e comer sua carne. Belas, mas malignas. Donas do mundo e protagonistas de muitas histórias lindas; ou assombrosas. Como criaturas misteriosas que são, convenceram a ciência e a humanidade de que não existem.
Mas tudo isso está longe da verdade.

Eu sei que vocês ficaram com aquele gostinho de “QUERO O PRIMEIRO CAPÍTULO A-G-O-R-A!”, pode admitir pra mim. Mas calma, respira fundo e espera só até amanhã.

Se vocês gostaram, deixem um cometário aqui e não se esqueçam da data de postagem de Profundezas. Acompanhe no perfil da autora ou me peçam por comentário que eu mandarei o link assim que sair.

~Duda Almeida

Anúncios

Divulgação: As Ruínas

capa_679365_1474428028

Ei, marujos!

Hoje vim trazer para vocês a divulgação da fanfic As Ruínas, do autor Jhownee. Quem acompanha o blog já sabe, mas você, meu caro marujinho que chegou agora, ainda precisa dessa informação super importante: O Jhownee é o cara das histórias de terror. Ele é autor de outra obra maravilhosa, a fanfic Scream Survival, que já foi resenhada aqui no blog.

Link: As Ruínas

Deem uma olhadinha na sinopse e depois a gente conversa:

De férias no México, um grupo de colegas de faculdade recém formados em arqueologia, decidem visitar intocadas ruínas Maias, achando que seria um dia de acampamento, e diversão que dariam ótimas histórias para contar. Porém, as coisas começam a dar terrivelmente errado… O grupo, preso no antigo templo e ficando cada vez mais sem recursos, são forçados a tomar decisões críticas para poder sobreviver. Como se isso não bastasse, eles se veem cercados por um antigo, misterioso e indescritível mal que os espreitam nas ruínas. 

A fanfic tem até grupo no Facebook (oia que chique) com DOIS trailers e (até agora) SETE FUCKING PÔSTERES DE DIVULGAÇÃO!

Para quem ficou interessado, dê uma passadinha por lá, veja os trailers e ajude o grupo a crescer:

Link: Grupo As Ruínas

As Ruínas é uma adaptação sensacional do Best Seller “The Ruins”, mas vocês não precisam conhecer a obra original para entender a fanfic, afinal, os personagens são totalmente originais.

A história se passa em Cobá, no México. Cobá é uma cidade que abriga as ruínas da civilização maia e um grupo recém formado em arqueologia decide visitar um misterioso templo que à mata mantinha muito bem escondido.

A fanfic começa daquele jeito calmo, com uma descrição maravilhosa do cenário e seu subconsciente te alerta: “Calma, é só o primeiro capítulo. O autor não deve fazer nada demais”. Daí você levanta, prepara seu chazinho com calma, senta tranquilamente para retomar a leitura e DERRAMA O CHÁ QUENTE NA ROUPA!

Eu não darei spoilers do que acontece, mas aconselho vocês a não tomarem chazinho enquanto leem As Ruínas.

Enfim, a história está no início e os primeiros capítulos mostram o quão envolvente será o enredo. E como conheço muito bem o autor, posso afirmar que a fanfic irá surpreender bastante.

Então, meus caros leitores, se vocês procuram uma trama de arrepiar e cenas muito bem descritas, sugiro que corram no link para dar uma conferida.

~Duda Almeida

Resenha: Um Cãoto

capa_697707_1473744523

Oi, amores!

Hoje eu vim trazer para vocês outra resenha, agora de uma história maravilinda chamada Um Cãoto, da autora Dinahmitt.

O que me levou a fazer essa resenha, primeiramente, foi a originalidade. Eu tenho anos de Nyah, Wattpad e Social Spirit, e nunca vi uma história com um protagonista canino tão fofo. Quando bati os olhos em Um Cãoto, decidi que precisava resenhá-la no blog.

O legal é que a história está no começo, então se você é um daqueles leitores que gostam de acompanhar desde o início, corre lá para dar uma conferida:

Link: Um Cãoto

Em uma entrevista com a autora, Dinahmitt me contou que aprendeu a ler e escrever em casa, com o pai, e embora gostasse muito disso, não tinha o hábito de tornar seus escritos públicos. Isso é algo mais recente, então, moça, faço um apelo por todos aqueles que ainda terão o prazer de ler não só Um Cãoto, mas todas as outras histórias maravilhosas que você irá escrever: continue divulgando suas histórias. Você escreve muito bem para deixá-las criando teia em um cantinho escuro e sem amor.

Bem, vamos ao que realmente interessa?

Um Cãoto é uma original que conta a vida de um cachorrinho chamado Fred desde seu nascimento até seus últimos dias de vida. Fred é o tipo de cachorro cativante, sabe? Você mal termina de ler o primeiro capítulo e, alem de dar umas boas gargalhadas, decide que vai amá-lo eternamente.

Tomei esporro. Sei lá porquê! Mamãe me olhou feio também, mas poxa, eu estava apertado! Desde quando é errado se aliviar?! Ainda não consigo controlar bem essas coisas também, até parece que mamãe e a tia nunca foram filhotes. Ou comeram pouco hoje e estão mal humoradas, vai saber? A tia me colocou de castigo, não era pra tanto também […] Pelo menos eu peguei a maldita daquela bolinha hoje. Certeza que ela zomba da minha cara rolando por aí!

A autora também abordou a ida de Fred ao veterinário e suas reações ao tomar vacina. São cenas descontraídas e você se diverte muito vendo um filhotinho convivendo com esse tipo de coisa. Também é muito interessante a forma como a autora descreve os pensamentos dele, indicando que ela teve todo um trabalho com pesquisas. Então, sugiro que você não perca tempo. Te convido a dar uma lida na entrevista que fiz com a autora, para conhecê-la melhor (e ver o quanto ela é fofa), e depois correr no link que deixei lá em cima.

O que te levou a escrever Um Cãoto e quais suas expectativas para a história?

Inicialmente foi algo como todo o resto: uma ideia que surgiu e eu escrevi. Não imaginei que se tornaria algo que eu pudesse passar o meu conhecimento – estudo cães, gatos e roedores há 9 anos. Conforme a história foi se desenvolvendo e eu relia, ia gostando mais e a história passou a ter um amadurecimento do próprio protagonista, de forma leve. A história ganhou uma estrutura que eu não estava prevendo. Estou bem otimista quanto a ela, ganhou muitas visualizações em pouquíssimo tempo e espero que se popularize. Pretendo procurar uma editora no futuro para ela, já que se encaixa perfeitamente para jovens de 12 a 14 anos.

(Dinahmitt estudou por 9 anos, dá para ter uma ideia que ela sabe muito bem o que está fazendo e que os personagens serão bem construídos).

Você considera a escrita apenas um hobbie ou pretende levar isso para frente e publicar um livro?

Como eu disse, pretendo publicar sim! Já tenho outros projetos que comecei a investir um tempo também, mas “Um Cãoto” terá prioridade em ser publicado livremente por enquanto.

Para finalizar: Você tem alguma frase, citação ou trecho de música que te inspira?

Tenho várias! Atualmente foco em duas da Katy Perry (Double Rainbow e Rise) e algumas da Ellie Goulding. Mas nenhuma música me inspira para “Um Cãoto”, curioso né?

Para terminar essa resenha com chave de ouro, vou deixar o apelo de um cachorrinho que se sentiu muito violado quando foi ao veterinário:

Me colocaram numa mesa gelada, credo, é muito frio aqui. E olha que agora eu tô ficando peludo igual a mamãe! SOCORRO! ESSA ESTRANHA TÁ COLOCANDO ALGUMA COISA NA MINHA BUNDA! TIA, ME AJUDA! Hmpf! Bom mesmo, dona moça. Isso é muito feio! Sua mãe não te deu educação? É pra CHEIRAAAAR!

Pessoal, vocês leram: é para cheirar!

Enfim, eu me diverti muito e aguardo comentários caso vocês tenham gostado!

~Duda Almeida

Resenha: Scream — Survival

Oi, marujos!

Vim trazer para vocês a resenha dessa fanfic maravilhosa, que me encantou bastante. Quem aqui curte horror? Se você respondeu “eu” a pergunta anterior, corre no link que estou deixando e vai dar uma conferida:

Link Scream — Survival

O autor Jhownee começou a escrever desde pequeno e tinha o sonho de ser roteirista de filmes (amigo, desiste não, vai que é tua. Essa sua história merece virar uma puta série maravilhosa). Ele amava escrever redações para a escola desde novinho. Redações macabras — Ownt!

Bem, brincadeiras à parte, vamos ao que interessa:

Scream — Survival gira em torno de um grupo de adolescentes que virou alvo de um psicopata. Na história nós temos a “Gangue das Cinco”, constituída pelas populares e líderes de torcida, que começaram a receber mensagens e telefonemas estranhos. Claire (minha diaba favorita) é o principal alvo do psicopata, mas não vá pensando que ele pretende matá-la assim tão facilmente, nosso assassino quer vê-la se arrepender de algo que aprontou. Porém, nossa amada Claire tem um jeito, hm, bem peculiar de lidar com assassinos misteriosos, principalmente quando o assunto é telefonemas:

— Alô?
— Olá, Claire — Disse a voz masculina arrastada.
— Quem é?
— A questão não é quem eu sou. Mas o que você é…
— Rica? — Respondeu irônica.   

É lógico que se um psicopata te liga, falar do seu status social resolve bastante, né meus amores? É por isso que eu amo essa mulher!

O que mais me cativou nessa fanfic, primeiramente, foi a forma como ele começou tudo (vamos dar spoilers? Só um pouquinho!), logo no primeiro capítulo já temos sangue, morte, perseguição. Gente, para tudo, eu não leio horror, mas me vi abaixando a janela do Nyah totalmente curiosa com o que iria acontecer, porque o autor descreve as cenas tão bem, que eu me imaginei lá, vendo tudo. E isso é maravilhoso, não concordam?

Com descrições e personagens com personalidades cativantes, o autor vai te conquistando um pouquinho mais a cada capítulo.

Se você, depois de ler tudo isso, ainda não correu para ler a fanfic, dê uma olhada no bônus que eu fiz para essa resenha. Eu decidi fazer uma entrevista com o autor (vale ressaltar que ele é um amor, então deixem um comentário na fanfic), podendo notar toda a paixão que ele tem pelo gênero que escreve. Vou citar algumas partes da entrevista e convido todos vocês que ficaram até aqui para darem uma conferida:

  • O que te levou a escrever Scream — Survival e quais suas expectativas para a história?

O que me levou a escrever “Scream – Survival” foi além do meu amor pelo gênero de terror e também o fato de que a franquia SCREAM é a minha série de filmes preferida, também notei uma falta de “terror” no Nyah. Não consegui achar outras pessoas que se mantivessem no gênero de horror e então resolvi, como vou dizer, estar lá presente para os fãs de histórias assustadoras. E dar um jeito de fazer o gênero cair no gosto da galera, que geralmente prefere histórias mais leves, ou sexys, ou que tenham romances perfeitos. Minhas expectativas para a história é que não somente agrade os fãs de SCREAM, mas que atraia o interesse de novas pessoas.

(Pelo visto Jhownee, se formos levar em conta que eu raramente leio terror e que você conseguiu me prender com sua história, você está indo muito bem na tentativa de atrair o interesse de pessoas novas).

  • Você considera a escrita apenas um hobbie ou pretende levar isso para frente e publicar um livro?

Sempre penso em virar um autor de verdade, e publicar algo para valer. Mas a música sempre veio em primeiro lugar na minha vida. Sou DJ, e produtor musical e quero passar o resto da vida fazendo isso. Mas se eu conseguir conciliar a escrita, perfeito! Pra que escolher um se podemos ter os dois? E meu amor pela música reflete no meu material, as trilhas sonoras estão sempre presentes.

  • Para finalizar: Você tem alguma frase, citação ou alguém que te inspire?

Sim, o que me inspira muito é o cineasta Wes Craven, um dos maiores nomes do horror no cinema. Sozinho, ele deu vida a Freddy Krueger de “A Hora do pesadelo”, e também, claro, dirigiu todos os filmes de “Scream” (Pânico). Era um verdadeiro mestre, e faleceu ano passado deixando a comunidade de horror num luto eterno. Sempre que escrevo me lembro do Wes. É como se eu quisesse deixá-lo orgulhoso. Até me emociono em dizer isso, é difícil segurar as lágrimas. Mas a arte deve ser valorizada. E o horror tem sua função, e uma muito importante, passar uma lição de moral na juventude, mostrando que as atitudes impulsivas não resultam em coisas boas. É um gênero que ensina muito, e não dá pra aprender mais do que com o Wes. Além dos comentários sociais, as críticas a sociedade e toda sua influência ainda sim o terror não parece receber a devida atenção. Uma frase que me inspira é do próprio Wes Craven que disse “Terror não serve para causar medo, serve para libertá-lo”.

Então, gostaram? Se sim, deixem um comentário bem amorzinho aqui e vão fazer uma visitinha a Scream — Survival. Garanto que não vão se arrepender!

~Duda Almeida

 

Bem vindos!

Bem vindos, marujos!

Espero que todos vocês se sintam em casa, que deixem comentários e ajudem o blog a crescer cada vez mais!

O objetivo do Aspas & Vírgula é incentivar tanto a escrita quanto a leitura, onde nós, meros autores, tentaremos por meios de dicas e posts variados criar um laço inquebrável entre você e o maravilhoso mundo repleto de letras, frases e que acabam por se tornar sonhos.

Vou indicar duas plataformas ótimas e que uso para postar minhas histórias, sendo assim, se você é um escritor iniciando a carreira e quer postar seu livro para ver a aceitação do público, ou até mesmo faz isso como hobbie, não hesite em publicar suas histórias e nos mandar para que possamos divulgá-la.

Wattpad

Nyah! Fanfiction

Logo acima, na página “Desafios de Escrita”, vocês encontrarão frases, imagens e outras coisinhas inspiradoras para escrever algo bem legal. Lembrando que, caso vocês cheguem a postar aquilo que escreveram, mande o link para o e-mail do blog e nós faremos o possível para divulgar sua história.

Obs: Por favor, marujinhos, não esqueçam de ler as regras, ou sua história corre um sério risco de ir parar bem no fundo do mar, e não ser divulgada.

Deem também uma olhadinha nas demais páginas. Futuramente teremos dicas quentíssimas para autores principiantes, além de entrevistas com autores que, assim como muitos de vocês, começaram postando suas histórias em sites e que agora publicaram livros.

~Duda Almeida